31 de mai de 2006

Alckbin acredita em "ira santa" contra Lula

Em jantar com um grupo de 220 empresários, o presidenciável tucano Geraldo Alckmin disse na noite de terça-feira, em São Paulo, estar convencido de que o eleitorado está decepcionado com o governo do presidente Lula e que em outubro haverá "uma ira santa".

Visivelmente embriagado, o tucano pôs-se a falar por 31 minutos. Entre um trago e outro, convocou a nação para ingressar numa cruzada em nome de Alá contra o demônio petista, prometendo 7 virgens no paraíso e todas as regalias que um bom terrorista merece.

Recentemente convertido ao islamismo, Alkimin, que agora atende pelo nome de Mohamed Alkbin Laden, declarou ter encontrado na religião o conforto para a desilusão de ter enveredado por uma campanha presidencial sem futuro.

Um detalhe que vem preocupando a cúpula tucana é o também recente gosto pelos derivados do ópio, fato este responsável pela verborreia psicodélica que vem acometendo o candidato, mudando o cerne de seus discursos, mesmo que de uma maneira discreta.

30 de mai de 2006

Michael Jakcson vai ao Japão fazer compras

O cantor esteve no Japão para receber um prêmio num canal de T.V. local (veja matéria aqui) e foi fazer compras em um orfanato.
Foi a primeira aparição em público desde que foi absolvido da acusação de pedofilia...
É.

17 de mai de 2006

Romance de Lula e Morales



O presidente Lula chegou hoje de sua viagem de lua-de-mel com seu novo amante, Evo Morales.

Felizes os pombinhos desembarcaram num clima de extremo bom humor e alto astral.
Mesmo alegando cansaço devido a constante prática do anal feroz , Lula declarou não estar mais nem aí para reeleição, PCC, Marisa ou o que quer que venha a atrapalhar sua felicidade.

"Fui a Bolívia resolver uma briga e encontrei um amor, nada mais me importa!" Declarou Lula lançando um olhar apaixonado à Morales que retribuiu com a frase :

"Lula es un culo mui caliente"

FONTE : Revista Caras-de-Pau

14 de mai de 2006

Alegria para umas, tristeza para outras

D. Lindu , imagino como é olhar para um filho e pensar : "Porra, que barrigada inútil!" de maneira que não vou tripudiar em cima da senhora nesse dia sagrado.

Seria igualmente desrespeitoso atribuir às profissionais do prazer, que já tem uma vida das mais sofridas, a responsabilidade de tê-lo gerado, dizendo ser ele filho delas.

Não quero lhe faltar com o respeito.

Feliz dia das mães! (supondo que a senhora tenha outros filhos)

11 de mai de 2006

Silvio Pereira assume : "Era domingo, tava de porre !"


Quem nunca chegou numa segunda feira sem lembrar picas do que fez no domingo, por conta de umas e outras, que atire a primeira pedra.

Foi o que aconteceu ao ex-secretário geral do PT.

Abordado levianamente pela reporter Soraya Aggege no momento em que chapava o melão, pôs-se a divagar sobre esquemas de corrupção, negócios de monta e quantias astronômicas que fluiam por um duto de um tal Valério, provavelmente boliviano magnata do gás.

"Eu queria mesmo era chulapar a mocréia, eu acho. Impressionar, sabe como?" declarou Sílvio. "Não me lembro de nada, mas garanto que não li a reportagem, mesmo porque detesto jornal." e ainda acrescentou : "Nem tudo o que eu disse estava escrito lá."

Ainda recendendo a alcool e com profundas olheiras, o ex-secretário compareceu a CPI dos bingos, onde ficou horas com os olhos perdidos no horizonte, enquanto o Senador e presidente da comissão Efraim Moraes discorria sobre o caso. Quando perguntado se tinha alguma noção do que estava fazendo ali, Pereira voltando do transe etílico balbuciou algo como "Estou esperando a pizza", o que causou o enfurecimento de Efraim, que o fulminou com a pergunta :

Vossa senhoria me permita, está querendo fazer a gente de besta?"

ao que Silvio retrucou :

"Ora, imagina! Eu nem pedi para nascer, BLURP..."

Profissão Galvão


Ontem eu estava batendo uma bolinha no computador e me peguei xingando o locutor que tava tirando altos sarros da minha falta de habilidade com os botões.

Parei e pensei : Putz, os comentários são quase 100 % precisos em relação ao que está acontecendo no jogo, e ainda por cima em português do Brasil! (se fosse de Portugal seria mais fácil "lá vai, lá vai, lá vai. Lá vem , lá vem , lá vem")

Isso me levou a refletir que, se um pau-velho igual ao meu PC consegue fazer isso, pra que serve o Galvão Bueno?

Serve para dar pitaco em tudo. De jogo de volei a corrida de fórmula 1.

Serve também para ganhar uma baba por mês.

Além de servir pra irritar o telespectador (principalmente eu), serve também para ajudar a educar o meu filho, pois quando o pimpolho sai da linha , já vou logo ameaçando "Olha que eu chamo o Galvão, hein !"

Galvão é que nem BomBrill, tem mil e uma utilidades.

Agora me pergunto: como se chega ao cargo de locutor esportivo?

Pela astúcia que ele emprega ao fazer seus comentários, supõe-se que ele já participou de muitos grand-prix, já defendeu a seleção canarinho desde a primeira copa do mundo, ou seja, o homem é um multi-atleta!

Foi através dele que eu soube pra que serve um carro de corridas. Serve para ir se desmanchando pedaço por pedaço ao bater, e não para correr e tentar ganhar um prêmio como eu imaginava.


Porra! Sacanagem. Um indivíduo com tanta habilidade pra encher linguiça numa narração ser substituído assim por um programa de computador é covardia.

Mas já era de se esperar o tempo em que as máquinas substituiriam os homens.

Mas mesmo assim é sacanagem ...

Olha aí ...

Grande Galvão! Grande Filho-da-puta!



5 de mai de 2006

Lula escreve para Bono

"Cumpanhero Bono
Como vai essa força? Cantano muito aí?
Demorei muito pra te escrevê, pruque num tenho lá essas intimidade com lapis e papel e dipois eu fiquei tentando corrigir eu mesmo os erro de portugueis da carta, mas agora acho qui ficô bão!

Num te expriquei direito o fome zero na epoca qui voce veio canta pra nóis pruque a impreça tava de oio e sabe como é imprença, né?

Mas vô tenta exprica :

Olha, na verdade Bono, o fome-zero é um sonho meu e dos cumpanheiro de batalha. Nóis quando era pobre só tinha como diverção cumê piça uma veis por meis, no dia do pagamento. Era muita sofrida a vida naquela epoca. Ficava babando esperando o dia de cumê a piça, cum muita fome.

Intão um dia tava revoltado e com a caveira cheia di cana, virei e prometi prus cumpanheiro que se eu chegasse nalgum lugar nessa vida num ia faltar piça todo dia. Alembro qui na epoca um cumpanheiro nosso qui gostava muito di desenhá feis até um desenho qui eu guardei pra num esquecê, pru que voce sabe como é esse negocio di cachaça, a gente promete e depois isquesse tudo. O desenho é esse aí, ó :

Fico tão bunito! Eu quiria qui chamaçe PIÇA PRA NÓIS, mas os cumpanheiro sabia das coisa e falaram que num ia ficar bão.

Tá, daí o tempo paçô e eu cheguei aqui, PRESIDENTE! eita! Nem mi pegunte como pruque eu num quero escrever otra carta.

Eu tinha qui fazê bunito e economizá o dinhero do povo. Aí eu pensei, rapais esse negocio de CPI da muita piça! E dei ou derão , num sei bem, um jeito e um dia tava lá, os cumpanheiro de batalha tudo metido em CPI! Nóis cumeu piça até fartar, o unico qui num quis foi o Zé Dirceu, num sei bem pru que, negocio di regime. Zé é cheio das frescura.

E eu ia ate te chamar pra cumê a piça do Josias, mais sabe como é , né?

Tô esperando voceis vim canta aqui di novo.

Saudades do cumpahneiro,

Lula"




2 de mai de 2006

Meu garoooto!


O garoto do Rio está fazendo pirraça e nega-se a comer sua papinha de governador. Cientistas políticos foram examinar o caso na sede do PMDB, no centro da capital fluminense, e chegaram a conclusão que o pimpolho está enfrentando de uma maneira psicótica sua fase de desmama.

"Ele encontra grande dificuldade por ter largado sua teta, pois em sua igenuidade, ansiava por uma maior ..." Declarou preocupado um dos membros da equipe que estudam o caso.

A criança pode ser vista caminhando pelos jardins da sede do PMDB dizendo frases desconexas e em estado deplorável após perder cerca de 1,3 Kg em apenas 3 dias de recusa alimentar.

Solidaria a população de todo o Brasil está em vigília para que a pirraça vá adiante e que o ex-governador os deixe em paz de uma vez por todas.