12 de jul de 2007

Sem comentários

Comparo a moderação de comentários como um ralo de banheiro, tenho sempre que tirar aquelas coisas estranhas que ficam presas para jogar no vaso e dar descarga.


Dentre petralhas anônimos, convites sexuais e ofertas de propina, sempre aparece um tipo curioso de "blogueiro" que , desprovido de idéias melhores, pede ajuda aos familiares e com muito esforço consegue escrever um único post.


Trata-se de uma "pegadinha" pois "a coisa" tem um link real que na verdade tem dois objetivos : O primeiro é atrair o emputecido dono do blog atacado ao tal blog-de-um-post-só para que esse se depare com a armadilha terrível que demorou anos para ser amadurecida na cabeça de seu inventor;


O segundo é fazer com que o gênio da blogosfera tenha orgásmos de ansiedade a espera que o objeto de seus desejos o visite , não importa em quais circunstâncias pois a intenção é fazer com que ele durma mais feliz depois de um "Oh, ele me visitou".


Um cliente assíduo desse ralo é Maçaranduba da Lusitania , que já teve seu 15 minutos de fama e teria o triste fim de querer me atormentar, e confesso que as vezes com sucesso, nos bastidores da minha redação se não fosse por esse link que recebi anonimamente por e-mail.


Essa é a prova evidente que o mundo dá voltas e as vezes aquela pergunta aparentemente sem resposta "Porque esse puto não vai ter suas próprias ideias e trata de divulgá-las?" é respondida por uma simples foto enviada por um amigo oculto.




Para aqueles de sensibilidade aguçada deixo aí em baixo a foto do cara que se diz macho pra caramba, pois não é salutar ir ao site de onde ela veio, o material lá contido é de extrema degeneração sexual.



Taí Maçaranduba, ganhou finalmente mais quinze minutos de fama e possivelmente uma legião de depravados para frequentar sua bunda, digo, seu blog.

2 bestaram:

Ricardo Rayol disse...

ahahahaha mandou bem. Mas acho que ele ficou meio chateado com vc pois andou bostando lá em casa com o codinome macho qualquer coisa .

alexandre, the great disse...

Valeu, Jorge.
Mas precisava estampar a foto do "coisinha"? Cruel... muito cruel... hehehe.


Alexandre, The Great