25 de jun de 2007

Gente que sabe das coisas.


"Você é um imbecil mesmo!O sistema vestibular nao é o unico metodo avaliativo possivel para ingressantes em universidades, seu mane. É sim o mais alienante, que presume que quem decorou mais formulas e estudou nos colegios melhor equipados para isso estão melhor preparados para seguir derrepente uma carreira humana e responsável. Se voce ja prestou vestibular sabe que o sistema nao é justo, uma vez que nao avalia de forma ampla os conhecimentos do candidato, mas é uma questao de sorte de quem memorizou as questoes mais adequadas que coincidentemente foram cobradas na prova. Se voce nunca prestou vestibular nao sabe do que esta falando.A soluçcao indicada por Chavez é adequada por avaliar amplamente o candidato levando em conta todo seu processo educacional alem de subsidia-lo, o que alias deveria ser um exemplo para o Brasil.Seu falastrao mal informado!Se nao sabe o que dizer, nao diga. "


Cara lilafp (espero que o fp signifique outra coisa diferente do que eu estou pensando)


Vamos esclarecer as coisas, primeiro eu não sou imbecil, sou besta. Segundo, entendo sua raiva ao ler um comentário contrário ao fato de Chávez ter eliminado o vestibular na Venezuela, apesar do fato de você não ter reparado que ele também eliminou as provas internas, ou seja, você ganha um diploma sem provar que realmente aprendeu alguma merda.


Mas não se desespere. Se Lula quiser fazer o mesmo aqui, não sou eu que vou impedir. Nem se tivesse força para isso. Ultimamente espero ansiosamente o dia que vocês iludidos quebrem a cara.
Eu sei como você deve estar preocupada. O ENEM já deve estar chegando ao fim e você está desesperada pois conseguiu tirar um segundo grau na moleza, sem muito esforço pois te deram um certificado e você sequer sabe como isso aconteceu, agora quer fazer faculdade e tem essa porra de vestibular para atrapalhar.
Caramba, todo mundo vai ver o quão fraco foi seu curso!
Tenho certeza que Lula pensa em implantar esse sistema aqui. Fique tranquila, você chega lá.
Em resposta a sua pergunta, sim eu fiz vestibular e cursei uma faculdade.
Posso lhe dizer que a faculdade não é essa coisa maravilhosa que todos pensam. Não espere muito dela. Principalmente não espere que ela lhe dará bons modos, o que notei pelo seu jeito "educado" de protestar, ser o que mais você necessita e isso vem do berço, de ouro ou de caixa de papelão, é de lá que vem e escola nenhuma te dará isso.
Resolvido o problema de seu curso superior, deixo aqui uma coisa para você pensar : Tendo tido uma mãozinha do governo para tirar o segundo grau e mais uma para ter um diploma universitário, como você acha que será a ajuda na hora de fazer uma entrevista para um emprego? Pense nisso com carinho, pois só assim você não precisará perder no mínimo oito anos para cair na real.
Um abraço do seu Falastrão e mané de todas as horas
PS: com esse seu problema em acentuar as palavras "derrepente" eu acho melhor você não tentar outra profissão além da de Peixe de Aquário.

10 bestaram:

ROÇA COISA É OUTRA LIMPA disse...

Jóia!
Valeu até a perda de tempo com a criança.
he he he

David disse...

Eu queria saber por que essa raça escrota não se muda para a Venezuela...

Cejunior disse...

Aqui no Rio o César Maia acabou com a repetição nas escolas municipais. E ainda fica furioso se alguem faz alguma critica!
Estamos indo para a mediocridade ampla, geral e irrestrita.
Um abraço.

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Hoje em dia, ninguém precisa de vestibular no Brasil.Se quiser cursar qualquer coisa, tem faculdade chumbrega aos montes, catando aluno a grito. O vestibular pode ser uma m... mas o fato é que ele seleciona os que querem estudar, os que não fogem da escola, como a IMENSA maioria das pessoas deste país.

Tá certo que esse número de faculdades é culpa do FHC, mas também é do governo Lula, que não fez nada para acabar com a festança dessas arapucas.

Os botocudos estudam DIREITO, administração e ciencias contábeis. Todos querem ser "adevogados" e trabalhar em escritorios, porque faculdade chumbrega não vai comprar equipamentos e laboratórios para ensinar engenharia (por exemplo) para ninguém... mas tudo bem! Desde que o diploma saia e a prisão especial fique garantida, todo mundo fica feliz.

O resultado? Desemprego de 10% no país, mas a mais absoluta falta de pessoas capacitadas para a industria química, automobilística e eletrônica, sem contar que hoje em dia, se disputam agrônomos e engenheiros florestais capacitados no tapa, porque encontrar um é como achar uma agulha no palheiro.

Acabemos com o vestibular à la Chaves. Deixemos da universidades boas para os botocudos que não curtem estudar e preferem uma boa cervejada no boteco em frente do cursinho. Vamos virar um país fenomenal! Um fenômeno que terá 30% de desemprego mas não conseguirá preencher as vagas especializadas nas grandes empresas que, por conta disso, irão embora para a China "comunista".

Para o Chaves tanto faz, não tem empresa nenhuma naquela m... de país, só a PDVSA. Mas aqui... será que seria bom?

Patrick Gleber disse...

Jorge,

Não se preocupe, é normal. Esse é o nível "delles". É por isso que ativei a moderação de comentários no meu blog.

Mudando um pouco de assunto... Escrevi hoje no meu blog sobre o tema: SENADORES SEM VOTO. Leia minha opinião e dê a sua também. Aguardo.

www.blogdopatrick.br21.com

alexandre, the great disse...

Jorge.
Não diga que o comentário foi daquela pessoa da foto... foi?
Caso positivo, tá explicado !


Alexandre, The Great

Jorge Sobesta disse...

Pois é gente e a distinta veio comentar justamente da Universidade Federal de Goiás.

Pensei se gozação da Saramar mas a tal procurou no google por venezuela + vestibular e caiu como uma bomba aqui.

É osso! Concordo com o David, deveriam ir para a Venezuela serem felizes.

maçaranduba da Lusitânia disse...

Só Besta:

Ficam chateado não. A moça te detonou, mas você tem o ego grande. Não é mesmo? Ou será falta da real medida da sua relevância? A sorte é que, apesar de sempre desinformados, vocês são socorridos por lunáticos como o cara de Jesus bebum, vulgo David, et caterva de alucinados.
Mas o propósito de minha visita é postar, para o vosso conhecimento, uma classificação muito instrutiva do seus colegas da direita.
Perfil do direitista tupiniquim, em dez traços

10. Ao contrário dos direitistas gringos, europeus ou mesmo mexicanos – virulentamente patrióticos ao ponto da xenofobia – o direitista brasileiro odeia o Brasil. É curioso, porque nenhuma direita traz tantas marcas do seu lugar de origem como a brasileira. Até quando fala de Chesterton.

9. O direitista brazuca sofre de profunda nostalgia. Entende-se: ele um dia teve Carlos Lacerda e Paulo Francis. Hoje deve contentar-se com Diogo Mainardi e outros funcionários da Veja. Ou seja, já completa uma geração em total orfandade de gurus. Andam tão carentes que seu mais novo mestre é um auto-intitulado "filósofo" de cujo trabalho nenhum profissional de filosofia jamais ouviu falar.

8. Os direitistas tupiniquins em geral se dividem em dois grupos: os raivosos e os blasé. Aqueles vociferam em blogs, lançam insultos, ordenam que os adversários se mudem para Cuba. Reagem histericamente à própria infelicidade. Os blasé, em busca de uma elegância copiada de algum filme gringo, intercalam em suas frases expressões inglesas já completamente fora de uso. Reagem esquizofrenicamente à sua infelicidade, à sua incapacidade de reconciliarem-se com o que são.

7. O direitismo brasileiro costuma ser um grande clube do Bolinha. Tem verdadeiro pânico das mulheres, especialmente das mulheres fortes, seguras, profissionalmente bem-sucedidas. Estas últimas costumam ter o poder de fazer até mesmo do blasé um raivoso.

6. O direitista tupiniquim adora lamber as botas de Bush. Numa época em que até vozes do conservadorismo tradicional norte-americano reconhecem o caráter da mentirada (link via Smart) sobre a qual se sustenta Bush, o direitista daqui ainda defende o genocídio praticado pelos EUA no Iraque.

5. Por alguma razão, o direitista brasileiro sente-se profundamente incomodado com o cinema iraniano. Talvez, se a história do menino que perdeu um sapato fosse contada em inglês, com um orçamento milionário, dois personagens maniqueistamente representando o bem e o mal, algumas explosões e um final bem moralista, o direitista tupiniquim o saudaria como uma pérola.

4. O direitista brazuca adora declarar-se “liberal”. Sonha com o capitalismo preconizado por Adam Smith, quem sabe nalguma ilha onde ainda exista “livre competição pelo mercado”. Afinal de contas, no capitalismo realmente existente o que vemos são quatro megaconglomerados controlando toda a indústria musical do mundo, ricos impondo barreiras e tarifas aos produtos dos pobres, oligopólios praticando dumping, guerras de rapinha para saquear petróleo dos outros. Ao ser confrontado com esses fatos, o máximo que o direitista aceitará é que no “verdadeiro” liberalismo essas coisas deverão ser “corrigidas”. Talvez no dia em que o direitista consiga impor seu modelo de capitalismo à ilha de Robinson Crusoé.

3. O direitista tupiniquim tem pânico de discutir questões relacionadas a raça e etnia. Quando aflora qualquer conversa sobre a discriminação racial ou sobre o lugar subordinado do negro na sociedade, ele raivosamente acusa os interlocutores de estarem acusando-o de racista. Para essa “vestida de carapuça” Freud inventou um nome: denegação. É a atitude preferida do direitista quando o tema é relações raciais.

2. O direitista tem verdadeiro ódio da MPB. Vocifera, por exemplo, contra o silêncio de Chico Buarque sobre o caixa dois do PT, ao mesmo tempo em que idolatra pop stars americanos que silenciam sobre o genocídio no Iraque. Faz sentido: as áreas nas quais, em quantidade e em qualidade, o Brasil tem a mais respeitável produção do mundo desmentem a ficção auto-depreciatória com que o direitista tupiniquim transfere para o país o seu incômodo consigo mesmo.

1. O direitista brasileiro louva e idolatra o mercado, mas curiosamente pouquíssimos espécimes dessa turma se estabeleceram no mercado com o próprio trabalho. É mais comum que herdem um negócio do pai, recebam via jabaculê o emprego que terão pelo resto da vida ou, mais comum ainda, que concluam a quarta década de vida morando com a mãe e tomando todinho.

Idelber Avelar

Jorge Sobesta disse...

Maçaranduba,

Muito bom sua técnica de ter um blog sem nada e ficar até altas horas da noite pentelhando onde não é chamado.
Faz o seguinte, pega a moçinha indignada do ENEM e vão os dois morar na Venezuela. Eu pago as passagens. Só de ida, combinado?

Beijo na bunda e até segunda.

David disse...

Esse apelido pegou, Jorge. Deve ser o quarto ou quinto comentário em que sou jesus bebum.
Duas coisas erradas: não sou religioso e não bebo.

No mais, o dia que usarem o próprio nome, seja por email ou comentário, eu respondo educadamente. Enquanto preferem o anonimato, fodam-se imbecis.

Ah sim...seu IP continua bloqueado, militante. :)