20 de fev de 2008

Atração diabólica - (baseado em fatos reais)

Conheci El Dictador na noite do primeiro aniversário da Revolução Sandinista.

Lembro-me claramente do arrepio que percorreu toda a extensão de meu corpo fazendo eriçar os pelos mais íntimos ao vislumbrar tão imponente figura e de como quase desmaiei ao sentir seu bafo de charuto quando fitou-me diretamente ao saudar.

Na ocasião estávamos eu e o futuro Molusco Regente, numa reunião com um grupo de nicaraguenses na qual tentávamos toda sorte de negócios , desde armas até know-how sobre sequestro de grandes empresários.

Na época a gente se virava com qualquer manobra pois não tinhamos as garras encravadas no poder como nos dias atuais.

El Diablo passou por mim e disse : Orale ese! - e se refugiou na biblioteca levando consigo o grupo nicaraguense e meu coração, minha alma e servidão.

Eram duas da manhã quando o padre Miguel D'Escroto indagou se queria falar com El Comandante.

Entre micro orgasmos e êxtase luxuriante balbuciei que sim.


Continua ....

NA : ¹ Mini Série inspirada pela recém aposentadoria da Besta Cubana e inpirada em fatos reais . Qualquer semelhança com pesoas e fatos terá sido mera coincidência.
² Fotos ilustrativas aleatórias, não indicando relação dos fatos com as pessoas.






5 bestaram:

Luiz Lailo disse...

Imaginação fértil, hein! Não a sua, mas a do Frei Betto com essa história da carochinha.
E o que dizia Lucas no Sermão da Montanha?
Encostar os inimigos nel paredón?

revolucionário comunista disse...

Perdona-me por mi português macarrônico, mas esto post me acurrió a muchas bellas lembrancias!

En el dia em que adentramos a La Habana, nosotros com El Comandante, fué el más feliz e espetalucar de mi vida.

- Descobri o sabor de los charutos cubanos... pagos com o dinheiro del povo.

- E as mujeres de luxo... pagas com el diñero del povo.

- E o whisky americano... pago coim el d~iñero del povo.

E cuando se acabó o diñero del povo, urra, los sovietes passarón a nos financiar, bastaba nosotros nos declararmos "socialistas"!!!

Vivimos desde entonces felices, às custas del povo o dos sovietes... e somos socialistas!

E descubrimos todo os revolucionários o quanto era hermoso o poder

Lerdo em Surtar disse...

Que bom poder voltar a bestar aqui!
Essa série, seja mini ou não, acho que vai ser o máximo de se ler.
O fio da meada já dá dica do tamanho do novelo, digo, da novela. Esse "El Comandante" me causa calafrios! Ocorre-me logo a lembrança de um pesadelo que tive na infância, de tantas histórias que ouvia do meu avô sobre um tal de Cangaceiro Tom Nina... mas xapralá. Prazer em ler aqui!

Ricardo Rayol disse...

ahahaha essa foi uma sacada genial

Kafé Roceiro disse...

Amigão,

É inacreditável, mas nesse tempo todo tenho tentado comentar no seu blog e só agora, que parece que o blogspot deu uma mexida no lance é que eu tô conseguindo comentar. Tô feliz pra burro de poder falar com ocê, rapá!

Abração,

Kafé.