8 de mai de 2007

Efeito Papa

Por ocasião da visita do Sumo Pontífice Bento Fala XVI Abóboras Por Vez, O presidente da CNBB D. Geraldo Majella resolveu mostrar que o Brasil está na onda do Papa, e que além de termos bananas, abobrinhas abundam está terra onde canta o sabiá.

Em entrevista a BBC Brasil ele criticou o programa de educação sexual do governo federal, acusando-o de promover a promiscuidade ao distribuir preservativos.

Indignado o bispo disse "Favorecer uma educação, para quê? Para estimular a precocidade da criança, do adolescente, como no caso da camisinha. Será que isso é educativo? Isso é induzir todos à
promiscuidade."

É sabido que o clero tem o hábito de pregar costumes aos quais não dá a mínima bola na hora de incorrer em pecado como é o caso da pedofilia ou ser praticante voraz do amor entre homens, o qual classifica como anormal mas, demagogias à parte, negar que nossos adolescentes começam sua vida sexual cada vez mais cedo e que adverti-los de certas consequências irreversíveis é errado parece atidude de quem fica recluso dentro de uma igreja, limpando santos e contando o dinheiro das doações.

Portanto, não entendo o que está acontecendo. Será um concurso interno da Igreja Católica para ver quem diz mais bobagens ou confunde mais fiéis?

Graças ao bom Deus que a igreja católica tem seus dissidentes e que nem todos rezam pela mesma cartilha.

Quanto a estimular a precocidade sexual da criança, sei de casos de padres que o fazem com muita destreza, e se o senhor quiser ter a memória refrescada, posso publicá-los aqui.

Ora, D. Geraldo, esse governo custa a dar uma dentro e vem o senhor criar caso? O senhor podia ter deixado o seu cargo sem ter dito um disparate desses.

Aproveite o tempo que lhe resta para se inteirar da sexualidade humana, a sadia, não essa que certos elementos ditos "Homens de Deus" praticam e de quebra leia sobre as DSTs que surgiram após a idade média.

6 bestaram:

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Jorge:

Este bispos católicos já... fedem.
A estupidez da sua "quadrada-cabeça" feita no fechado seminário não dá tréguas de tanta estupidez.

Não há meio de tirarem as "palas" e olharem o mundo com visão periférica.

Eles gostam é de vender "os santinhos" e toda essa propaganda que anda a ser feita no Brasil para taransformar a visita do "beato" num autêntico acontecimento de feira.

Passa uma boa semana.
Um abraço,

Catellius disse...

Bravo, Jorge!

Muito bom mesmo!

"... ou ser praticante voraz do amor entre homens, o qual classifica como anormal..."

E o celibato pode ser classificado como uma sexualidade normal? Não, e justamente por isso, como você bem colocou, não poucos padres entregam-se aos impulsos como os demais mortais. A grande diferença é que o acobertamento dos superiores atrai naturalmente pedófilos e outros predadores sexuais que têm a certeza da impunidade - pelo menos tem sido assim até hoje. Pense bem: mais de US$ 1 Bi em indenizações só nos EUA, nos últimos anos.

"Será um concurso interno da Igreja Católica para ver quem diz mais bobagens ou confunde mais fiéis?"

É estupidez mesmo. Em qualquer campo de atuação humana que seja respeitável há disputa por cargos, há meritocracia, há uma espécie de funil. Para ser padre, contudo, basta não ter vocação para mais nada, basta estar passando fome ou não ter sucesso com as meninas. E depois essa corja cresce e quer discutir ciência com pessoas que, embora falíveis, deixaram milhares para trás no vestibular, na graduação, no mestrado, no doutorado, na corrida por publicações em revistas especializadas. Veja bem que não estou dizendo que uma "autoridade" pode falar o que bem entender, que apenas por ter tal credencial fulano está certo. Estou tão somente constatando o óbvio, que é a origem do "concurso" de bobagens que você bem lembrou em seu ótimo post.

E passe lá no pugnacitas para opinar sobre um texto do C. Mouro sobre Diderot e Nietzsche!

Abraços,
Catellius

alexandre, the great disse...

Jorge.

E o que vc acha da intenção do "Noço Meçias" em transformar o Sumo Pontífice em "garoto-propaganda" dos "pogramas soçiais".

Nada mau, para quem se considera divino, ter o papa como seu "office-boy", não?


Alexandre, The Great

Patacoadas do Cleber disse...

Jorjão. Ótimo texto com ponderações interessantes. Parece que a gula é outro pecado que a igreja não se importa muito. Estão fazendo quase 2000 doces em barra para oferecer ao pontífice, fora o resto da comilança que vai ser de com força. No mais, abração

David disse...

Não entendo o motivo da Igreja se preocupar tanto com sexo. E não entendo desde que Mendel nos deu a Genética como estudo maldito...O cara era frei pô! Como que ele sabia tanto de genética? Só por causa das ervilhas?

Ricardo Rayol disse...

Pela lógica, se sexo é só para reprodução e considerando que ninguem consegue criar mais de um filho por vez e são contra o aborto então só se pode dar umazinha NA VIDA TODA.