18 de jun de 2006

Uma estranha realidade

Houve um tempo em que o país era governado por gorilas e tanques. Foi um tempo longo, muito longo que foi encerrado com uma frase de um general que ecoa até hoje na minha mente, mudando de sentido a cada pensada : "Um dia vocês dirão : Eu era feliz e não sabia"

Feliz com o governo eu não me lembro de ter sido, mas não passava certos momentos de "putice" total.

Longe de mim defender a ditadura ou a volta da mesma, mas certos aspectos da época cairiam muito bem hoje em dia: A cambada do PT vivia encarando um xilindró, ou tomando merecidas porradas ou se escondendo por aí.
Gilberto Gil e seu namorado Caê eram exilados, iam falar suas sandices lá fora. Bandido não ficava por aí de bravata como é o caso do Beira Mar e Marcola , porque iam se ver com os grupos de extermínio.

Lutava-se muito por liberdade, mas, qual liberdade realmente conquistamos?

Liberdade de expressão : Certo. Todo mundo que trabalha na mídia conhece um sensor e não sai falando ou escrevendo o que der na telha. Sem contar o que certos "artistas" fazem com essa liberdade.
Liberdade de ir e vir : Essa aí não tá tendo! Porque ir e vir do bar da esquina com o cigarro e a cerveja sem ser assaltado ou presenciar um crime é coisa rara.
Liberdade para protestar : Hoje pode-se ir às ruas protestar, mas o povo confunde com o carnaval e ninguém entende o que eles querem, se bobear, nem eles mesmos sabem.
Liberdade para escolher um líder : nem dá pra falar nada a respeito...

Se fosse possível, como num delírio alucinógeno, um grupo de múmias militares levantassem de suas tumbas e tomassem o poder novamente , apenas o tempo suficiente para fuzilar todo e qualquer político, exilar para o inferno alguns cantores, escritores e afins e que um grupo de extermínio trabalhasse dia e noite até não sobrar nem mais um mísero ladrão de galinhas, e no fim de tudo evaporassem, daria pra começar a construir uma sociedade decente.

Infelizmente isso é só um desatino de uma mente que já está pra lá de cançada, puta da vida e sem um pingo de esperança no futuro.

Me coloco no lugar de alguém que tenha sido torturado naquela época, acreditando estar contribuíndo para um futuro melhor e nos dias de hoje ver que merda fizemos desse país.

Deve doer no fundo da alma.

2 bestaram:

Kafé Roceiro disse...

Apesar dos pesares, nossas liberdades e direitos não tem preço.

Kafé Roceiro disse...

É isso mesmo! Cê tá sumido, rapá!